21 de fevereiro de 2017
Por: Comunicação


IMG_4089

Modelo capixaba de austeridade foi apontado como uma das razões para a crise da Segurança, uma vez que privilegia a responsabilidade fiscal e negligencia a responsabilidade social

O Sinasefe Seção Ifes realizou assembleia geral na quinta-feira, 16, no auditório do campus Serra. A pauta incluiu informes gerais; análise de conjuntura; eleição de delegados para a 148ª Plena, que aconteceu entre os dias 16 e 19 de fevereiro em Brasilia; e a Reforma da Previdência.

Para a Plena, o servidor Júlio Belo foi eleito delegado e o servidor Roberto Walace Viana foi escolhido como observador e delegado suplente. Pela diretoria do Sindicato, o delegado foi o coordenador de Formação Política e Formação Sindical, Clerio Lucas Guaitolini.

A Segurança Pública no Espírito Santo também foi tema de debate durante a Assembleia com foco no movimento das famílias dos policiais militares, além da política de austeridade aplicada no Espírito Santo que foi apontada como uma das razões para que se chegasse a essa situação.

Para o coordenador-geral do Sinasefe Selção Ifes Aliomar da Silva, que presidiu a mesa, o modelo capixaba, que foi vendido como solução para o restante do país, dá toda a prioridade para a responsabilidade fiscal e negligencia a responsabilidade social, aumentando as tensões com a sociedade em decorrência do arrocho salarial, retirada de direitos e sucateamento dos serviços públicos, entre outras questões.

Além disso, a proposta do Governo Federal de Reforma da Previdência e as ações de comunicação com as servidoras e os servidores sobre o assunto foram debatidas.

551 View