28 de março de 2012
Por: Haroldo Lima


Docentes e servidores de Universidades Federais de todo o Brasil participaram da Grande Marcha da Jornada Nacional de Lutas nesta quarta-feira (28), em Brasília.

Os professores marcharam junto com as demais categorias dos servidores públicos federais e também outros movimentos sociais pelo Espaço de Unidade de Ação em defesa dos direitos e conquistas dos trabalhadores e da qualidade do serviço público.

Além da Campanha Salarial Unificada dos SPF para 2012, a manifestação reivindicou a rejeição do PLC 2/2012, que cria a Funpresp, a aplicação imediata dos 10% do Produto Interno Bruto (PIB) na Educação, entre outras bandeiras de interesse geral da sociedade civil.

A concentração da Marcha começou às 9h, em frente à Catedral de Brasília. De lá, os manifestantes seguiram rumo ao Espaço do Servidor, em frente ao bloco C do Ministério do Planejamento (MP), onde permaneceram até o início da reunião dos SPF com o secretário de Relações do Trabalho (SRT/MP), Sérgio Mendonça. Neste encontro, o responsável pela SRT/MP apresentou às entidades uma resposta do governo quanto à política salarial presente na pauta unificada de reivindicações dos SPF e ainda a retirada da seção XXIV do PL 2203/2011, que altera o Regime Jurídico Único no que diz respeito aos adicionais de insalubridade e periculosidade.

Na parte da tarde, os servidores participaram de uma atividade política no Auditório Petrônio Portela, no Senado, contra a privatização da previdência pública. O seminário “Pela Rejeição do PLC 2/2012″ aconteceu a partir das 14h e contou com a participação da professora Sara Granemann, da Associação dos Docentes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Adufrj – Seção Sindical), e de Clemilce Carvalho, auditora fiscal da receita federal aposentada, além de vários parlamentares contrários ao PLC.

Com informações do ANDES-SN.

239 View