2 de agosto de 2012
Por: Haroldo Lima


Em uma atitude de total desrespeito com as reivindicações dos técnico-administrativos e docentes federais, o governo federal decidiu assinar acordo com o Proifes, na reunião desta quarta-feira (1).

A afirmativa foi feita após o Sinasefe, o Andes-SN, e Condsef apresentarem as respostas das assembleias de base, que rejeitaram, mais uma vez, o proposto pelo Executivo. Para os docentes, a alteração pontual colocada na mesa, na última semana (24/7), não modificou a essência da proposta do governo, o que foi reconhecido pelos próprios representantes do Ministério do Planejamento. Desta forma, o governo continua ignorando a pauta da greve nas Instituições Federais de Ensino: reestruturação da carreira docente e dos técnico-administrativos e valorização e melhoria nas condições de trabalho docente nas Universidades e Institutos Federais.

Confira a edição do Boletim Nacional de Greve 9:

Durante a reunião, o Sindicatos Nacionais ressaltaram que não iriam assinar um acordo que pode retirar direitos dos docentes e que, ao invés de valorizar, aprofunda e consolida a desestruturação da carreira, que já se encontra emperrada. É hora de radicalizar o movimento para garantir o fechamento de um acordo digno que contemple a carreira dos docentes e TAE.

“O governo rompeu de forma unilateral com os técnico-administrativos e docentes ao assinar o acordo com uma entidade sem nenhuma representatividade na base dos servidores federais. Estamos dispostos a negociar e, agora, radicalizar o movimento grevista para garantir conquistas na pauta de reivindicação”, afirma Gutenberg de Almeida, coordenador geral do Sinasefe Nacional.

Durante a reunião, o Secretário de Relações do Trabalho, Sérgio Mendonça, comunicou que, por determinações superiores, a negociação com os técnicos-administartivos teria início na próxima semana, com Fasubra e Sinasefe.

O Sinasefe rechaça a postura do governo de separar as negociações entre técnicos e docentes.

RADICALIZAÇÃO E 112ª PLENA

A radicalização do movimento paredista vai ser discutida na 112º Plena do Sinasefe, que acontece nos dias 7 e 8 (próximas terça e quarta-feira). O espaço vai discutir os rumos da greve e buscar estratégias de intensificação do movimento nos campi das capitais, interior e também em Brasília.

“A intenção é estabelecer um diálogo direto com a sociedade a respeito da postura do governo ao assinar com Proifes e não apresentar proposta aos TAE”, informa Gutenberg.

O Sinasefe Seção Ifes realiza assembleia geral extraordinária na segunda-feira (6) para estabelecer estratégias para a greve e eleger delegados para a Plena. Participe!

 

535 View