8 de agosto de 2012
Por: Haroldo Lima


O Comando Unificado de Greve da Ufes (docentes, técnico-administrativos e estudantes) promove nos dias 09 e 10/08 (quinta e sexta-feira), o seminário “O futuro do HUCAM em debate” com o objetivo de propiciar à comunidade universitária e à população em geral oportunidade para conhecer a realidade do Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes (HUCAM) e discutir seus problemas e alternativas.

Na quinta-feira, 09, o evento será no auditório do Elefante Branco, no Centro de Ciências da Saúde (CCS), em Maruípe. Já no dia 10, no auditório do Centro de Ciências Exatas (CCE), no campus de Goiabeiras, em Vitória.

PROGRAMAÇÃO

O Seminário começa, às 9h, com o debate “A EBSERH, as universidades públicas e a autonomia universitária”“ e terá palestrante o professor Nelson Souza Silva, diretor do Instituto do Coração da UFRJ. Às 10 horas, a palestra “O atual modelo de financiamento da saúde pública no Brasil: a lógica do desmonte” será ministrada por Representante do Fórum Nacional Contra a Privatização da Saúde. Já às 14 horas, os participantes do seminário farão uma visita monitorada ao Hucam.

Na sexta-feira, 10, às 9 horas, a programação começa com o “O atual quadro do Hucam: Problemas e  Alternativas”, tendo como palestrante o diretor do Hucam, Emílio Mameri, a Coordenadora Geral da Fasubra, Janine Vieira Teixeira e o reitor da Ufes, Reinaldo Centoducatte. A plenária final será às 14 horas, e terá como tema “O Hucam que Queremos”.

No ano passado, foi aprovado pelo Senado o Projeto de Lei 79/2011, que cria a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), cuja função é gerenciar e captar recursos para os hospitais públicos, inclusive os universitários.  A criação da EBserh obedece à lógica implementada pelos últimos governos de privatização dos serviços públicos, em especial da saúde e da educação, e traz uma série de implicações no funcionamento e na função social dos hospitais universitários.

Na prática, a adesão do HUCAM ao regime de administração da EBserh possibilita a existência de dois hospitais: um com serviços mais ágeis e de melhor qualidade para os usuários do setor privado e outro de procedimentos mais demorados e de baixa qualidade para os usuários do SUS. Além disso, também compromete a autonomia universitária, uma vez que a prestação de serviços de assistência em saúde deverá ser privilegiada (gerando recursos e lucros para a empresa) em detrimento do ensino, da pesquisa e da extensão e possibilitando que estas atividades, especialmente as de pesquisa, também sejam vendidas como serviços ao setor privado, que passará a determinar seus objetivos, metas e prazos.

Neste sentido, é fundamental que haja um amplo debate, não apenas com a comunidade acadêmica, mas também com a população, que representa a maior parte dos usuários dos serviços do HUCAM, a fim de que todos possam conhecer os prejuízos causados por esse acordo de gestão e participar efetivamente desta decisão.

Seminário “O futuro do HUCAM em debate”

Dia 09/08

9h – Debate: A EBSERH, as universidades públicas e a autonomia universitária.
Prof. Nelson Souza Silva – Diretor do Instituto do Coração da UFRJ

10h – Debate: O atual modelo de financiamento da saúde pública no Brasil: a lógica do desmonte.
Representante do Fórum Nacional Contra a Privatização da Saúde

14h – Visita monitorada ao Hucam

Dia 10/08

9h – Debate: O atual quadro do Hucam: Problemas e  Alternativas.

Emílio Mameri – Diretor do HUCAM
Janine Vieira Teixeira – Coordenadora Geral da Fasubra
Reinaldo Centoducatte – Reitor da UFES

14h – Plenária: O Hucam que Queremos.

Comando Unficado de Greve (Ifes, Ufes e DCE)

 

420 View