9 de setembro de 2014
Por: Comunicação


O segundo dia do VIII Fórum Nacional de Comissões Internas de Supervisão (FNCIS) foi repleto de debates e marcado pela reunião dos Grupos de Trabalho específicos. As reuniões são a base para a elaboração da Carta de Vitória, documento que reunirá as discussões e acúmulos do encontro.

Durante a manhã, os participantes do Fórum debateram o PCCTAE e os impactos da expansão da rede, especialmente notada no que diz respeito à precarização das condições de trabalho. Outro tema abordado foi a necessidade de ser mantida a luta pela data-base da categoria, como forma de garantir ganhos reais de remuneração e estancar as perdas sucessivas, por conta da falta de diálogo por parte do governo.

À tarde, nos GTs, foram feitas conversas desde a democratização até a terceirização do serviço público. Neste último tema, foram levantados problemas como os desvios de funções que ocorrem em várias áreas, situações em que os aprovados em concursos não são alocados em seus cargos, além da vacância.

Outro ponto levantado foi em relação às despesas com a mão de obra terceirizada que, por muitas vezes, acaba sendo onerosa para as instituições – apesar de muitos trabalhadores ganharem pouco, a empresa contratada recebe altos valores para realizar os serviços.

O VIII Fórum Nacional de Comissões Internas de Supervisão (FNCIS) ocorre pela primeira vez em um instituto, no campus Vitória do Ifes. O evento termina nesta quarta-feira com uma palestra sobre a autonomia da CIS e a elaboração e ratificação da Carta de Vitória.

615 View