29 de junho de 2017
Por: Comunicação


Após o recebimento do ofício, Reitoria fez um comunicado aos diretores-gerais solicitando que não sejam aplicadas atividades de avaliações aos estudantes

Greve Geral Ales 2

O Sinasefe protocolou na Reitoria do Ifes nesta quarta-feira, 28, um ofício pedindo a suspensão das atividades do Instituto na próxima sexta-feira, 30, dia de Greve Geral em todo o Brasil, conforme convocado por centrais sindicais, contra as reformas da Previdência e Trabalhista. Às 12 horas (meio-dia) haverá um grande ato em frente à Assembleia Legislativa, na Enseada do Suá, em Vitória, onde as várias categorias se encontrarão após suas concentrações em diversos lugares da Grande Vitória. Caravanas do interior também se dirigirão ao local.

A Seção Ifes fez o pedido considerando que, além da paralisação de diversas atividades do Instituto por conta da adesão da categoria à Greve Geral, as diversas adesões de outras categorias dificultarão o deslocamento de estudantes, servidoras e servidores na Grande Vitória e em municípios do interior.

Após o recebimento do ofício, Reitoria fez um comunicado aos diretores-gerais. “Visando a segurança de nossos estudantes, orientamos que, onde for possível, que não seja aplicada atividade de avaliação para os alunos. Quanto aos servidores, será avaliado posteriormente a questão da compensação ou não em função da impossibilidade de deslocamentos dos mesmos”, diz um trecho do comunicado.

Greve Geral Ales 1Transcol

Nessa quinta-feira, 29, servidoras e servidores do Ifes, membros da diretoria do Sinasefe Seção Ifes, estudantes e colegas de outras categorias farão panfletagens nos terminais do Transcol, na Grande Vitória, avisando sobre a Greve Geral de sexta-feira, 30, e explicando sobre o risco que a população trabalhadora e suas famílias correm ao terem ameaçados direitos fundamentais como restrições que podem inviabilizar a aposentadoria e a precarização ainda maior das relações do trabalho em que o lado mais fraco, as/os trabalhadoras/es, perderá o poder de negociação com os patrões e a segurança da Justiça do Trabalho.

Alerta

Nesta quarta-feira, 28, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou o texto da Reforma Trabalhista e a matéria, já aprovada na Câmara dos Deputados, segue para o plenário da Casa. O Governo Federal, diante da intensificação da crise política após a denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) contra o presidente da República Michel Temer por corrupção passiva. Diante desse quadro o Governo corre para aprovar as reformas que atacam as/os trabalhadoras/es do Brasil e para atender os interesses dos mega empresários e dos mais ricos, os mais interessados na instalação e permanência dessegoverno.

Confira o ofício:

 Paralisação de atividades 1Paralisação de atividades 2

467 View