4 de dezembro de 2017
Por: Comunicação


Em Vitória, haverá concentração às 9 horas da manhã, na Praça de Jucutuquara, para a luta contra a reforma da previdência. Participe!

24294403_1523537014381955_1625210232862405353_n

Seguindo a deliberação da categoria pela adesão à Greve Geral contra a “Reforma da Previdência”, o Sinasefe Seção Ifes protocolou três ofícios comunicando à reitoria do Ifes, à Escola de Aprendiz de Marinheiro (Eames) e à Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) a Greve Nacional desta terça-feira, 5 de dezembro. A deliberação ocorreu em assembleia realizada no dia 29 de novembro.

Os documentos protocolados informam que as trabalhadores e trabalhadores realizarão uma paralisação de 24 horas no dia 5.

“Esperamos que a categoria participe da paralisação. Vamos nos concentrar às 9 horas da manhã, na terça, na Praça de Jucutuquara, com outras entidades e categoria para lutar contra essa reforma que só traz prejuízos à classe trabalhadora. Somente derrotaremos os ataques do governo com a mobilização popular. Esperamos todo mundo lá”, convocou o diretor do Sinasede Seção Ifes, Aliomar Silva.

Confira os ofícios:

Ofício nº 402 Ifes
Ofício nº 403 Ufes
Ofīcio nº 404 Eames

Greve mantida

Na sexta-feira, 1º de dezembro, as centrais sindicais Central Única dos Trabalhadores (CUT), Força Sindical, Nova Central, União Geral dos Trabalhadores (UGT) e a Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) resolveram adiar a Greve Nacional. O motivo seria o possível adiamento da votação da Reforma da Previdência, na Câmara dos Deputados, em Brasília. A pauta estava prevista para ser apreciada no dia 06 de dezembro.

Entretanto, a CSP-Conluntas – central a qual o Sinasefe é filiado – manteve a paralisação, respeitando a definição de suas bases.

Confira a nota da CSP-Conlutas sobre a manutenção da Greve Nacional para o dia 05 de dezembro:

Hoje fomos surpreendidos com a desmarcação da Greve Nacional assinada pela cúpula de seis centrais sindicais (CUT, Força Sindical, CTB*, UGT, NCST e CSB). Isto, sem consulta prévia à CSP-Conlutas e sem consulta à suas próprias bases nos estados e nos sindicatos. Resolveram desmarcar por telefone a Greve Nacional convocada para o dia 5 de dezembro.

Isto acontece exatamente no momento em que o governo Temer está com dificuldade em conseguir o número de votos necessários para a aprovação do fim da aposentadoria dos trabalhadores brasileiros. Acontece no momento em que na base aumenta a disposição em realizar a Greve Nacional e manifestações para derrotar definitivamente a Reforma da Previdência.

Este recuo é um grave erro e ajuda somente ao governo Temer. Não conta com o apoio da CSP-Conlutas!

Este recuo significa abrir mão de uma ferramenta fundamental, que é a Greve Nacional, uma grande oportunidade de, pela ação direta, enterrarmos de vez essa reforma que acaba com a nossa aposentadoria e vem sendo articulada a base da compra de votos por um governo e um Congresso Nacional corruptos a serviço da burguesia desse país.

A CSP-Conlutas chama a todos os sindicatos e organizações de base a se manterem mobilizados e realizarem assembleias, protestos e manifestações, a manterem a pressão sobre os deputados nas casas e aeroportos. Não vamos baixar a guarda!

O governo recuou apenas por uma semana, e se for colocar em votação a reforma, chamamos a todos os sindicatos e organizações a paralisarem o país imediatamente.

Só a luta unificada e uma Greve Geral podem derrotar o governo Temer e esse congresso de corruptos!

Se quiserem votar, o Brasil vai parar!

Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas

*A CTB publicou nota oficial afirmando discordar da posição da maioria das centrais sindicais na nota que desmarca a Greve Nacional de 5 de dezembro.

Saiba mais no “Boletim da CSP-Conlutas – 5 de dezembro”

WhatsApp Image 2017-11-27 at 18.47.16

WhatsApp Image 2017-11-27 at 18.47.17

401 View