28 de março de 2018
Por: Comunicação


No texto, os autores também fazem uma comparação entre a educação (enquanto mercadoria padronizada) e os “fastfoods”

20180319artigosinasefe

Os professores Daniel Neri e Elenira Vilela, do IFMG e IFSC, respectivamente, militantes do SINASEFE, publicaram em dezembro passado um artigo onde enumeram diversos elementos de mercadorização e privatização da Rede Federal de Ensino. Relacionando acontecimentos “aparentemente desconexos” como a reforma do Ensino Médio, o movimento Escola Sem Partido e a Emenda Constitucional 95 (do congelamento de gastos) o texto compara os ataques à Rede ao que aconteceu na Petrobras.

“Comida rápida”

Além do paralelo com a estatal do Petróleo, os autores fazem uma comparação entre a educação – enquanto mercadoria padronizada- , e os “fastfoods”: “Estamos chamando de mercadorização o processo pelo qual a educação brasileira está se transformado em uma mercadoria padronizada, de conteúdo pobre e métodos simples e diretos de comercialização. Fazendo uma analogia livre, podemos comparar o modo como a estrutura da educação brasileira está sendo modificada com um processo de fabricação e venda de fastfoods: um número limitado de opções, de fácil acesso e baixa qualidade”.

Saída: luta e avanço da consciência

A conclusão do texto reafirma a importância de compreender e fortalecer a luta coletiva enquanto saída para toda a problemática analisada ao longo do artigo. “Assim, é urgente que trabalhadores e estudantes fortaleçam suas entidades de classe, seus sindicatos, diretórios e uniões estudantis e todas as outras entidades. A população está sendo iludida e amortecida por uma propaganda poderosa, enganosa e perversa. É preciso reverter os efeitos dessa propaganda, criando mecanismos de informação e formação política a todos os fóruns, todos os espaços possíveis, físicos e virtuais. Somente a partir da consciência de que estamos sendo submetidos a um duro ataque, pelo qual o grande capital aumenta sua sanha sobre o Estado Brasileiro, teremos condições de agir de forma contundente para a resistência e reversão desse processo.”

Confira o artigo completo em PDF.

Leia o artigo no site GGN/Nassif online.

Leia o artigo na publicação do IFMG: O Sinal.

Fonte: Sinasefe.

253 View