27 de setembro de 2016
Por: Comunicação


convite-a6-em-jpeg-sem-marca-de-corte

Concentração será às 8 horas, na frente do Teatro da Ufes, e categorias como os petroleiros, servidores da Ufes, metalúrgicos, servidores da Previdência Social, professores, entre outras, estarão no ato

O Sinasefe Seção Ifes participará da paralisação geral unificada de inúmeras categorias que acontecerá na próxima quinta-feira, 29, como preparatória para a greve geral que está sendo construída para outubro. No dia será realizada uma passeata saindo da frente do Teatro Universitário, no campus de Goiabeiras da Ufes, com concentração às 8 horas, em direção à Findes e à sede da Petrobras, na Reta da Penha.

Categorias como os petroleiros, servidores da Ufes, metalúrgicos, trabalhadores da Previdência Social, professores, entre outras, estarão no ato. A adesão dos servidores do Ifes foi aprovada em assembleia geral realizada na última quinta-feira, 22, na quadra coberta do campus Vitória.

Ante da votação foram dados informes e foi realizada uma ampla análise de conjuntura com representantes da CSP Conlutas; da Frente Estadual em Defesa da Previdência Social, dos Direitos Trabalhistas e Serviços Públicos; e da Federação Nacional dos Estudantes em Ensino Técnico (Fenet), além de integrantes da base do Sindicato. Eles falaram sobre as ações unificadas que estão sendo planejadas e realizadas entre as principais centrais sindicais e os diversos segmentos das trabalhadoras e dos trabalhadores para a construção de paralisações gerais e de uma greve unificada geral das categorias. Além disso, o microfone foi aberto para que todos os presentes pudessem se posicionar.

Abaixo você confere um breve resumo das principais pautas da paralisação de quinta-feira, 29, e da greve geral que está sendo construída.

  • PEC 241: prevê o congelamento por 20 anos dos recursos para Educação e Saúde, além dos salários dos servidores públicos;

  • “Escola sem Partido”: propostas que tramitam no Congresso querem calar os professores e proibir o diálogo crítico para garantir a alienação dos jovens. Queremos uma “Escola sem Mordaça”;

  • MP do Ensino Médio: sem diálogo com os educadores, o golpista Temer baixou uma medida provisória (MP) com o fim da obrigatoriedade do ensino da Filosofia, Sociologia, Artes e até Educação Física, permitindo, ainda, que pessoas sem formação adequada deem aulas;

  • Os ataques incluem, ainda, a Reforma da Previdência, que quer aumentar o tempo de trabalho e reduzir os salários dos aposentados, e a Reforma Trabalhista, que sinalizou elevação da jornada diária de trabalho para até 12 horas por dia;

  • Além disso, Temer e seus apoiadores defendem a validade do negociado sobre o legislado, na prática a suspensão da CLT, fragilizando o trabalhador que terá que se submeter a acordos que retiram seus direitos. Entre outros ataques há ainda o PLC 30/2015 que está no Senado e legaliza a terceirização para as atividades-fim, ou seja, libera que se terceirize qualquer serviço, inclusive o seu;

  • Reafirmação do Fora Temer.

671 View