10 de setembro de 2009
Por: Haroldo Lima


Companheiros e companheiras,

Durante todo o governo fhc o Sinasefe lutou para manter a paridade entre ativos e aposentados. Quem viveu aqueles momentos de penúria lembra muito bem que toda proposta de carreira para o servidor público continha o fim da paridade. A estratégia de fhc para alcançar este objetivo foi a implantação das famigeradas gratificações, concedidas inicialmente apenas aos ativos. Só após nosso movimento de greve e ações na justiça conseguimos o mesmo tratamento para todos os servidores.

Com a conquista do governo central pelo sindicalista lula acreditavamos que os ataques aos aposentados acabariam. Ledo engano. Dispondo de um conhecimento de décadas de movimento sindical, o que faz o governo lula para diferenciar o salário entre ativos e aposentados? Introduz novos níveis no topo da carreira.  Desta forma o governo do pt impede, na prática, que os aposentados tenham seus salários reajustados, já que não podem mais progredir na carreira. Esta é uma lógica perversa de quem despreza os servidores que construiram o ensino federal em nosso pais.  Se isto não bastasse, agindo desta maneira, o governo lula coloca em confonto, dentro de uma mesma categoria, grupos em situações funcionais diferentes. Este é o caso dos que possuem titulação de um lado e os aposentados  e os sem titulação do outro. Ao impedir que aposentados e não titulados progridam e ao elevar o teto salarial da carreira, o governo lula induz uma forte disputa entre estes diversos grupos.

O que também chama a atenção é o triste papel dos reitores. Atuam como operadores deste tipo de política, principalmente quanto defendem que este é o caminho que o governo deve seguir.

De nossa parte, o Sindicato já se posicionou contrário a este tipo de reestruturação e defende aumento com mesmo percentual para todos os níveis. Desta forma os aposentados e não titulados seriam igualmente beneficiados.

413 View