18 de abril de 2013
Por: Haroldo Lima


Encontro acontece nos dia 2, 3 e 4 de maio, nos campi Serra e Vitória. Inscrições para o evento começam nesta sexta-feira, 19.

Questionada diariamente por servidores devido as implicações práticas na rotina de trabalho e sentida por estudantes de Institutos Federais de todo Brasil, a expansão das IF vai finalmente ser analisada pela comunidade acadêmica capixaba no Encontro Regional Sudeste do Sinasefe – A expansão da Rede Federal: Novos Desafios dos Trabalhadores.

Organizado pela Seção Sindical Ifes do Sinasefe e pelo Sindicato Nacional, o Encontro Regional vai reunir acadêmicos e sindicalistas do Espírito Santo e de outros estados do Brasil, servidores e estudantes do Ifes para discutir as condições de trabalho e a qualidade da educação nos IF.

O encontro vai acontecer nos dias dois, três e quatro de Maio nos campi Serra e Vitória. A participação no evento custa R$10. O valor deve ser pago na retirada do kit do encontro, no credenciamento.

As inscrições poderão ser feitas a partir das 14h desta sexta-feira, 19, com a programação completa do evento.

“Vamos pensar o momento em que vivemos e a conjuntura do movimento sindical para entender o que significa a expansão, o impacto dela no trabalho e na qualidade da educação que oferecemos, por isso a programação foi diversificada”, pontua Samanta Lopes Maciel, coordenadora da Seção Ifes.

Os desafios da organização do movimento sindical e a conjuntura brasileira são a pauta do primeiro dia do encontro. A reforma previdenciária, o papel da mulher no trabalho, o impacto da expansão da rede federal na saúde do trabalhador e precarização do ensino provocado pela expansão são temas do segundo. Um debate sobre a carreira única dos trabalhadores em educação vai encerrar o Regional Sudeste.

Professor de Filosofia do campus Linhares, Adolfo Oleare avalia positivamente a expansão dos IF para a modernização e o desenvolvimento do Brasil. Contudo, ela está sendo realizada de modo precário quanto ao planejamento, afirma o docente.

“Em menos de 10 anos cerca de 400 campi surgiram em todo o país, nas mais longínquas localidades. Sendo que muitos municípios não têm estrutura técnica, a maior parte deles não tem profissionais, muita gente tem que migrar das capitais mas sem auxílio interiorização. Esse é apenas um problema que afeta os servidores. É uma questão complexa, por isso um evento dedicado ao tema”, finaliza Oleare.

403 View