13 de agosto de 2012
Por: Haroldo Lima


Nesta terça, 14, Sindicatos Nacionais e MPOG se encontram novamente para mais uma rodada de negociação.

BRASÍLIA – Em reunião de negocaiação realizada na última sexta-feira, 10,  no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), o Sinasefe Nacional e a Fasubra apresentaram ao governo uma contraproposta formulada pela base , em resposta à proposta apresentada pelo MPOG no dia 6. O MPOG apreciou preliminarmente a proposta, mas não apresentou parecer. Sindicatos e governo reúnem-se novamente nesta terça-feira, 14, para nova rodada de negociação.

A negociação começou com a entrega da proposta dos servidores ao Secretário do MPGO Sérgio Mendonça e com a explicação de que a categoria rejeitou, de forma unânime, a proposta de reajuste de 15,8% e só aceitaria nova proposta que contemplasse a pauta de reivindicações dos servidores técnico-administrativos em educação.

Após a apresentação dos Sindicatos, Mendonça e sua equipe se retiraram para analisar a contraproposta e retornaram dizendo que que iriam apresentar um posicionamento em uma nova rodada de negociações. Mendonça adiantou que estava descartada a proposição de que o reajuste ocorresse em apenas uma parcela, por conta da posição já apresentada pelo governo antes.

As entidades, imediatamente, exigiram que eles apresentassem uma proposta de reajuste que garantisse, minimamente, a recomposição do poder aquisitivo e dos salários dos TAEs, hoje o menor piso salarial do serviço público federal.

O Secretário ponderou que estava apenas apontando a inviabilidade da parcela única, mas que iria apresentar respostas concretas na próxima audiência, agendada para o dia 14 de agosto, às 15 horas.

SINASEFE E FASUBRA COBRAM REABERTURA DA MESA DE NEGOCIAÇÃO DOS DOCENTES

Ao término da reunião, o Sinasefe reafirmou sua exigência da reabertura da mesa de negociações com os docentes. De acordo com o Secretário Executivo da Setec, Marco Antônio de Oliveira, afirmou, a mesa só será retomado após a finalização das negociações com os TAEs. Oliveira foi categórico ao informar que qualquer proposta apresentada pelo Sinasefe para os docentes será avaliada na forma de aditamentos ao acordo que foi assinado apenas com uma entidade não representativa.

Sinasefe e Fasubra já acordaram que, no dia da próxima reunião, será realizada uma vigília em frente ao Ministério do Planejamento com um ato simbólico dos 60 dias de greve da categoria representada pelas duas entidades e indicam às suas bases a mesma mobilização em suas reitorias.

Fonte: Sinasefe Nacional.

459 View