7 de dezembro de 2012
Por: Haroldo Lima


Até o momento, Comissão Eleitoral Central não apresentou protocolo de medidas de segurança para resguardar a integridade dos votos colhidos no ambiente de aprendizado.

O Sinasefe protocolou no começo tarde desta sexta, 7, um memorando questionando à Comissão Eleitoral Central sobre o procedimento de fiscalização e segurança do processo de votação dos estudantes da modalidade Ensino a Distância (EaD) para reitor e diretores de campi. Conforme indicado pelo Regulamento Eleitoral, os discentes da modalidade EaD vão votar no ambiente de aprendizado (Moodle).

O memorando apresenta as contradições existentes no Regulamento da Eleição no que diz respeito à flexibilização das medidas de segurança dos votos por via eletrônica em relação ao voto presencial. O documento também aponta a preocupação do Sindicato com a não apresentação de um protocolo de medidas cautelares contra fraudes de segurança e ataques externos ao ambiente de aprendizado durante a eleição.

De acordo com Maxwell Monteiro, coordenador do Sinasefe, o ambiente de aprendizado Moodle não foi projetado para garantir o nível de segurança esperado em um processo eleitoral. “Solicitamos à Comissão Eleitoral Central o protocolo de segurança adotado para termos certeza que todas as medidas cabíveis para evitar possíveis problemas foram colocadas em prática, como, por exemplo, dispositivos que garantam que o votante seja realmente do corpo discente do Ifes”, explica o coordenador.

A Seção Ifes considera o voto dos estudantes do EaD de extrema importância para a legitimação do processo de escolha, e espera que todas as precauções de segurança sejam tomadas para garantir a integridade das eleições.

Leia a íntegra do documento abaixo:

 

 

 

458 View