16 de dezembro de 2015
Por: Comunicação


Sinasefe Seção Ifes protocolou ofício solicitando o afastamento do trabalho de todas as servidoras grávidas

A Reitoria acatou um pedido do Sindicato e as servidoras grávidas do Ifes serão afastadas dos trabalho.  Os diretores de cada campus serão os responsáveis por encaminhar as ações preventivas de combate ao mosquito Aedes Aegypti e os afastamentos.

O Sinasefe Seção Ifes protocolou na Reitoria do Instituto, no dia 9 de dezembro, o ofício 253/2015 solicitando o imediato afastamento do trabalho de todas as servidoras grávidas, além da execução de ações efetivas de combate ao mosquito Aedes Aegypti diante do surto de Zika Vírus que acontece no Estado.

No documento, o Sindicato argumentou que o Ifes possui diversos campi localizados em regiões onde foram constatado o aumento da presença do mosquito, que é o mesmo que transmite a dengue. Essa situação coloca as servidoras gestantes em risco ante a relação direta do Zika Vírus com a ocorrência de microcefalia em bebês, conforme portaria 1.813, de 11 de novembro de 2015, em que o Ministério da Saúde declarou Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional em decorrência do padrão de ocorrências de microcefalia no Brasil.

Outras autarquias federais, como a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) já tomaram providências, determinando o afastamento imediato das servidoras gestantes. Além disso, o governo do Espírito Santo já decretou situação de emergência em todo o território capixaba.

Clique aqui e confira o ofício.

Clique aqui e confira a portaria do Ministério da Saúde.

Clique aqui e confira o decreto de situação de emergência no ES.

Foto: Creative Commons – CC BY 3.0

1310 View