15 de outubro de 2019
Por: Comunicação


Servidoras/es presentes trataram, ainda, das deliberações da 161ª Plenária Nacional e das medidas autoritárias que o Governo está tomando contra os Institutos Federais

O Sinasefe Seção Ifes realizou nessa segunda-feira, 14, uma assembleia geral no auditório de sua sede, em Jucutuquara, Vitória. Os presentes referendaram os nomes dos delegados e observadores, eleitos em assembleias locais e na própria assembleia geral, que participarão do 33º Consinasefe. O evento será realizado entre os dias 14 e 17 de novembro, em Brasília.

Além disso, a coordenadora geral da Seção Ifes Lucia Helena Pazzini de Souza informou sobre os preparativos para o 1º Encontro de Mulheres da Base do Sinasefe Ifes, que será realizado no dia 18 de outubro no campus Vitória, explicando que o evento integra o plano de lutas da atual gestão do Sinasefe Seção Ifes. Ela lembrou que a atual gestão cumpre a paridade de gênero em sua diretoria conforme deliberado pelo Sinasefe nacionalmente.

Lucia Helena apresentou, ainda, a camisa confeccionada para o evento e explicou que o Encontro é exclusivo para mulheres seguindo deliberação da Nacional que no dia 13 de novembro realiza o 2º Encontro de Mulheres do Sinasefe, em Brasília.

Houve, ainda, informes sobre a 161ª Plenária Nacional, realizada em Brasília nos dias 28 e 29 de setembro. O servidor Clerio Lucas Guaitolini enfatizou que a Plena tratou da intensificação do combate ao Governo Bolsonaro, uma vez que ele se apresenta autoritário, danoso ao país–em especial às/aos trabalhadoras/es e às minorias—, e com contornos fascistas. Ele destacou, ainda, as medidas e declarações desastrosas do ministro da Educação que ataca o conjunto do setor e coloca em risco o funcionamento e a qualidade dos Institutos Federais com propostas como o Future-se.

Ainda sobre a 161ª Plenária, o servidor Roberto Wallace Viana informou que o entendimento no Sinasefe Nacional é de que não é o momento para uma greve e que, por isso, foram debatidas formas de interromper a paralisia e trazer o servidor para o debate que não passem, necessariamente, por paralisações.

O servidor Júlio Belo também deu um informe sobre o Encontro Nacional dos Vigilantes dos Institutos Federais, que acontece em novembro, comunicando que solicitará ao Sindicato o envio de delegados ao evento.

Conjuntura

Durante a assembleia geral, os presentes fizeram, ainda, uma análise de conjuntura, que tratou do projeto Future-se do MEC – rejeitado pelos trabalhadores das instituições federais –, do risco da imposição da militarização das escolas, dos ataques à representação sindical das diversas categorias do serviço público, assim como do andamento do atual Governo Federal, sob comando de Bolsonaro, e da situação em países vizinhos que passam por protestos e mudanças políticas e sociais, como o Equador e o Peru.

Participaram da análise de conjuntura os diretores do Sindicato Thalismar Matias Gonçalves e Carlos Alberto Firmino dos Santos, que também integraram a mesa da Assembleia, assim como os servidores Aliomar da Silva, Júlio Belo e Clerio Lucas Guaitolini. A composição da mesa também contou com a coordenadora geral da Seção Ifes Lucia Helena Pazzini de Souza.

68 View