17 de maio de 2021
Por: Comunicação


Share This Story !

É preciso avançar nas políticas públicas destinadas à população LGBTQIA+ e lutar contra as formas de violência!

Neste Dia Internacional de Luta contra a LGBTfobia, 17 de maio, o Sinasefe Ifes reforça a importância da luta contra as formas de violência e perseguição a lésbicas, gays, bissexuais, trans e travestis, queers, intersexuais, assexuais e todas as demais existências de gêneros e sexualidades (LGBTQIA+).

Segundo dados do relatório “Observatório das Mortes Violentas de LGBTI+ No Brasil – 2020”, realizado pelo Grupo Gay da Bahia e pela Acontece Arte e Política LGBT+, de Florianópolis, no ano passado, ao menos 237 pessoas foram vítimas de LGBTfobia. O número representa uma queda de 28% em relação a 2019, mas não significa um avanço ou diminuição da violência, mas sim o resultado da subnotificação e da pandemia de Covid-19 no Brasil. (Clique aqui e confira o relatório).

O Grupo Gay da Bahia coleta informações e divulga o Relatório Anual de Mortes Violentas de LGBT no Brasil há 41 anos anos.

Conforme o relatório, “é inegável a existência da violência contra essa comunidade. Ao mesmo tempo, destaca-se que não é uma violência qualquer fruto de um processo de formação socioespacial desigual, é uma violência que mata, fere e brutaliza esses corpos, expondo-os ao ridículo e a extremos processos de exclusão por serem quem e como são”. 

É preciso avançar nas políticas públicas destinadas à população LGBTQIA+ e lutar contra as formas de violência! LGBTfobia é crime! 

204 View