31 de maio de 2019
Por: Comunicação


Sinasefe Seção Ifes marcou presença na passeata que aconteceu nessa quinta-feira, 30 de maio, na capital do ES. Presentes protestaram contra o corte de investimentos e contra a reforma da previdência do governo Bolsonaro

Manifestantes em frente à Sedu, em Vitória

O segundo grande passo rumo à Greve Geral, que será realizada no dia 14 de junho, foi dado nessa quinta-feira, “30 de Maio – Dia Nacional em Defesa da Educação”, em todo o Brasil.

Milhares de estudantes, trabalhadores da iniciativa pública e privada, entidades sindicais e movimentos sociais ocuparam as ruas do país contra o anúncio do corte de 30% no investimento para a Educação.

Em Vitória, na capital do Espírito Santo (ES), manifestantes contra o sucateamento do ensino público, gratuito e de qualidade se concentraram em frente ao Ifes e à Ufes.

As diretoras Cristina e Norma e os diretores Carlos e Thalismar do Sinasefe Seção Ifes marcaram presença no ato

A diretoria do Sinasefe Seção Ifes marcou presença na concentração no instituto e seguiu a passeata rumo à frente da Secretaria de Estado da Educação (Sedu), na Avenida Cezar Hilal.

O coordenador de formação sindical do sindicato, Carlos Alberto Firmino dos Santos, destacou que o ato contou com a adesão de diversas categorias profissionais e movimentos sociais.

“Esse movimento é muito importante e legítimo contra os ataques do governo. Além das categorias que atuam na área da Educação, seja federal, estadual ou municipal, muitos trabalhadores de outras áreas aderiram e fortaleceram a manifestação em Vitória”, pontuou o coordenador.

Segundo ato contra cortes na Educação reuniu trabalhadores da iniciativa privada e do serviço público e estudantes

Ele também reforçou que o Sinasefe Ifes está na rua contra a reforma da previdência e rumo à Greve Geral.

Previdência

O servidor do Ifes e representante da Central Sindical Popular (CSP) – Conlutas, Clerio Lucas Guaitolini, discursou para os/as presentes na manifestação sobre as intenções do governo com os cortes e a “contrarreforma da previdência”.

Servidor Clerio Lucas Guaitolini discursa para presentes no “30 de Maio – Dia Nacional em Defesa da Educação”

“Esse presidente e seus ministros querem retirar os direitos do povo, atacando os serviços públicos. A Educação e o Seguro e a Seguridade Social. Querem destruir a pesquisa no Brasil e acabar com o nosso direito e de nossos filhos e netos à aposentadoria. Tudo isso para pagar juros e amortizações da dívida pública e beneficiar banqueiros e grandes empresários”, denunciou Clerio.

O representante ainda chamou atenção para os principais pontos prejudiciais da reforma para a classe trabalhadora, como a idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres, 40 anos de contribuição para receber o benefício integral da aposentadoria e instituir o regime de capitalização.

Rumo à Greve Geral

Somente a união das categorias profissionais pode barrar os ataques do governo. E os dois grandes atos em defesa da Educação, no dia 15 e no dia 30, mostraram para o governo a força do povo nas ruas.

Clique aqui e saiba mais sobre o dia 15 de maio.

#TiraAMãoDoMeuIF

A coordenadora de comunicação do Sinasefe Ifes, Cristina Mota Damasceno, disse que o ato foi unificado e muito bem organizado.

“Não tivemos nenhuma ocorrência policial ou confusão. Realizamos panfletagens para desmentir as notícias falsas sobre a reforma da previdência, sobre os cortes e convidamos todos os brasileiros para dar um basta à retirada de direitos. Agora, o nosso próximo passo será a Greve Geral, no dia 14 de junho”, convocou.

A Greve Geral é organizada pelas centrais sindicais e a base do Sinasefe Seção Ifes aprovou adesão ao movimento, em assembleia geral, no dia 9 de maio, em Vitória. Clique aqui e saiba mais.

Confira imagens do ato

O segundo grande movimento em repúdio aos ataques do governo Bolsonaro à Educação aconteceu no dia 30 de maio em todo o…

Posted by Sinasefe.Ifes on Thursday, June 6, 2019

191 View