6 de julho de 2012
Por: Haroldo Lima


Share This Story !

Na próxima terça-feira, dia 10, professores, técnico-administrativos e estudantes do Ifes e da Ufes realizam um grande ato público unificado contra a privatização do Hospital Universitário (HUCAM) e pela valorização da educação pública.

A mobilização, organizada pelo Comando Unificado de Greve, começa às 8 horas com panfletagem em frente ao HUCAM, de onde os grevistas seguem em passeata até a UFES, no campus de Goiabeiras. Esta é a primeira atividade conjunta entre os servidores do Ifes e da Ufes, unidos no Espírito Santo no maior movimento pela educação desde 2001.

“Neste momento, é importantíssimo unir forças com os servidores e alunos da Ufes para lutar por um bem de muito valor para o povo capixaba, que é o HUCAM. Vamos mobilizar a população e chamar atenção para o hospital e para a educação”, explica o coordenador do Sinasefe, Tiago Camillo.

Durante a passeata, os manifestantes irão distribuir panfletos e conversar com a população sobre os prejuízos causados pela privatização do HUCAM e esclarecer a sociedade sobre a situação da educação pública brasileira.

De acordo com Helder Gomes, do Comando Local de Greve dos Docentes, é fundamental defender o caráter de Hospital Escola do HUCAM. “Além de defendermos a gratuidade do HUCAM enquanto parte do sistema público de saúde, defendemos também o seu caráter de escola, espaço privilegiado de pesquisa e aprendizado”, avalia Helder.

O processo de privatização da educação pública brasileira também atinge os Hospitais Universitários. No ano passado, foi aprovado pelo Senado o Projeto de Lei 79/2011, que cria a Empresa Brasileira de Hospitais Públicos (Ebserh), que, na prática, abre espaço, nos hospitais universitários, para atendimentos particulares, prejudicando o atendimento público e gratuito.

“Defendemos que os serviços de saúde sejam acessíveis e gratuitos a toda a população. Com a criação da EBserh e a entrada do HUCAM em seu regime de administração, além de precarizar o atendimento, as pessoas terão que pagar por esses serviços”, explicou o representante do Sindicato dos Técnico-administrativos da UFES, (Sintufes), Wellington Pereira.

Para Vítor César, coordenador do Diretório Central dos Estudantes (DCE-Ufes), a entrada do HUCAM à EBserh precisa ser amplamente debatida, não apenas por toda a comunidade acadêmica, mas também pela população, que representa a maior parte dos usuários dos serviços do hospital. “Somos contra esse processo de privatização do HUCAM. Lutamos por um hospital universitário público, gratuito e de qualidade”, ressalta Vítor.

Com informações da Adufes.

352 View