9 de fevereiro de 2022
Por: Comunicação


Share This Story !

Categoria aprovou que o sindicato apure a situação e, caso sejam identificadas irregularidades, poderá seguir com a denúncia. Decisão foi aprovada em assembleia geral, realizada na segunda, 7. Confira!

A base do Sinasefe Ifes aprovou que o sindicato faça uma denúncia ao Ministério Público Federal (MPF) sobre os casos de descumprimento dos protocolos de segurança sanitária no Ifes. O encaminhamento foi aprovado em assembleia geral da categoria, ocorrida na segunda-feira, 7. 

Durante a reunião, realizada de forma virtual, os/as servidores/as presentes relataram alguns casos de descumprimento de protocolos de segurança sanitária, como a presença de alunos positivados para Covid-19 em sala de aula e uso incorreto da máscara de proteção facial. A diretoria do sindicato junto à sua assessoria jurídica irá apurar a situação e levantar dados objetivos e, caso sejam constatadas as irregularidades, encaminhará a denúncia ao MPF, conforme aprovado pela base. 

Para ter mais informações sobre a Covid-19 na instituição, a categoria também aprovou que o sindicato solicite ao Ifes o número de servidores e estudantes que foram contaminados pela Covid-19, e também verificar junto à Plataforma Escola Segura, do Governo do Estado, os registros dos casos suspeitos e confirmados de Covid-19. Semanalmente são enviadas as informações. 

A categoria também concordou em solicitar a atualização do protocolo de segurança sanitária da instituição, para que inclua a previsão de utilização de máscaras adequadas para conter a Ômicron, como máscaras PFF2, KN95 ou similares. Além de alterar a orientação de que sintomas gripais não são suficientes para colocar o servidor em trabalho remoto. 

Os/as servidores/as também podem fazer denúncias de descumprimento dos protocolos de segurança sanitária e outras irregularidades que foram constatadas nos campi do Ifes. Para fazer os relatos, basta enviar e-mail para o endereço: [email protected]. Ao enviar o e-mail, informe o campus e relate quais os procedimentos que estão sendo descumpridos. A sua identidade não será revelada.

Reunião com a reitoria

Durante a assembleia, a direção do sindicato apresentou os informes à base. Entre as pautas, foi exposta a reunião que o sindicato realizou com a reitoria no dia 3 de fevereiro. No encontro, foi discutida a situação do retorno presencial nos Campi em meio à explosão de casos de Covid-19. 

O sindicato reiterou o posicionamento pela adesão do passaporte da vacina no Instituto, como uma forma de incentivar a imunização e garantir mais segurança à comunidade acadêmica. Conforme a direção, a reitoria apresentou dados trabalhistas sobre a questão, mas não se comprometeu em aderir ao passaporte. Vale destacar que, de acordo com levantamento do SINASEFE Nacional, 48,71% dos Institutos Federais já aderiram à obrigatoriedade do passaporte. Clique aqui e saiba mais

Sobre possíveis surtos de Covid-19 nos campi, a direção do sindicato indagou a reitoria quais seriam os procedimentos adotados, e o posicionamento foi de que o Instituto é um local seguro e que cada campus será responsável por definir as ações. 

A direção também questionou sobre a desburocratização do afastamento dos/as servidores/as em casos de contaminação ou suspeita. O Instituto disse que iria avaliar uma forma de desburocratizar. Clique aqui e saiba mais. Em comunicado do dia 8 de fevereiro, a Diretoria-Geral destacou que os/as servidores que se afastarem do trabalho presencial por Covid-19, de forma preventiva e compulsória, devem registrar a ocorrência “Atividade Externa”, no ponto eletrônico.  

Após o encontro, a avaliação da direção do sindicato é de que a Instituição não está tão comprometida com o controle da pandemia. 

Também nos informes, a direção expôs a luta da Campanha Salarial 2022. As/os Servidores Federais reivindicam 19,99% de reajuste emergencial, bem como a revogação EC 95/2016 e o arquivamento da PEC 32/2020. Clique aqui e saiba mais. 

157 View