22 de maio de 2019
Por: Comunicação


Sindicato protocolou ofícios junto às reitorias do Ifes e da Ufes e na Eames informando sobre a paralisação

A segunda grande resposta contra os ataques à Educação será no dia 30 de maio.

E a categoria do Sinasefe Seção Ifes aprovou o apoio, a mobilização e a paralisação para a data de luta em assembleia geral. A reunião aconteceu no dia 22, na sede do sindicato, em Jucutuquara, em Vitória.

“O governo não esperava essa resposta da população. O movimento foi grande. É um dos maiores já mobilizados e o Sinasefe fez parte dessa história”, pontuou o coordenador de formação sindical do sindicato, Carlos Alberto Firmino dos Santos.

A segunda grande manifestação de rua será mais um passo rumo à Greve Geral, marcada para o dia 14 de junho. O tema foi foi ponto de pauta na assembleia e os/as presentes debateram sobre a construção da luta da greve no Brasil e no Espírito Santo (ES).

“O ato do dia 30 será nosso segundo enfrentamento rumo à Greve Geral. Vamos mostrar nas ruas que somos contra os ataques aos direitos fundamentais da população, como a Educação e a Seguridade Social”, disse o representante da CSP-Conlutas, Clério Lucas Guaitolini.

Unidade

O coordenador geral do Sinasefe Seção Ifes Manoel Tadeu Alves dos Santos reforçou que somente a unidade pode barrar os ataques do governo.

“Precisamos nos mobilizar e fazer com que o grupo cresça, para não termos direitos retirados”, falou.

Ofícios

O sindicato também protocolou junto às reitorias do Ifes e da Ufes e na Eames ofícios informando sobre a paralisação da categoria para o dia 30 de maio.

Clique aqui e confira o ofício da Eames.

Clique aqui e confira o ofício da Ufes.

Clique aqui e confira o ofício do Ifes.

Nacional

Os/as presentes na assembleia também elegeram delegados para a 159 Plenária Nacional do Sinasefe.

O delegado eleito foi Clérigo Lucas Guaitolini, o servidor Roberto Wallace Viana acompanhará como observador e Ítalo Severo é o suplente. 

Primeiro ato
No dia 15 de maio, milhares de brasileiros/as repudiaram o corte de 30% do orçamento da Educação pelo governo Bolsonaro. Atos e manifestações foram realizados em todos os estados e o “15 de Maio – Dia Nacional em Defesa da Educação” marcou a história das manifestações de rua no Brasil.

Em Vitória, no Espírito Santo (ES), manifestantes se concentraram em dois pontos, na Ufes e no Ifes. Os/as presentes marcharam pelas Avenida Reta da Penha e Avenida Vitória onde se encontraram próximo a Praça do Cauê. Clique aqui e saiba mais.

O movimento também protestou contra a reforma da previdência e a política de retrocessos do governo Bolsonaro.

333 View