10 de junho de 2022
Por: Comunicação


Share This Story !

Direção do sindicato solicita que o uso de máscara de proteção facial seja obrigatório e que os protocolos de biossegurança sejam retomados

O Espírito Santo vive hoje a quinta onda de casos da Covid-19, conforme apontou o secretário de Saúde do Estado, Nésio Fernandes, em entrevista coletiva na segunda-feira, 6. Em meio a esse cenário, o Sinasefe Ifes chama a atenção para a questão e reforça a importância do uso da máscara de proteção facial nos campi do Ifes e cobra um posicionamento da gestão do Instituto sobre o aumento dos casos. O sindicato enviou um ofício. Clique aqui e confira. 

Na entrevista, o secretário reforçou que o Estado vive a “quinta fase de expansão da curva de casos. Esta curva se desenhou em seis semanas completas de crescimento de casos. Até a quinta semana, os casos vinham dobrando a cada 14 dias; e na última semana, os casos dobraram em apenas sete dias”.

Em números, o secretário aponta que o número de casos positivos saiu de menos de 10% na última semana para 19%.

Nessa terça-feira, 7, o Estado registrou 1.743 novos casos de Covid-19 em 24 horas. Um número expressivo de casos em 24 horas não era registrado no Painel Covid-19, do Governo do Estado, desde o mês de fevereiro, conforme reportagem do jornal A Gazeta.

Em relação à vacinação, Nésio destacou, na entrevista coletiva de segunda-feira, 7, que “1,5 milhão de capixabas encontram-se com a segunda dose ou a terceira dose em atraso. Isso representa que poderíamos ter um comportamento muito mais satisfatório se a cobertura estivesse em 90%”, disse. Segundo dados do Painel Covid-19 desta quarta-feira, 8, o percentual de vacinados com a segunda dose da vacina da Covid-19 é de 83,1%, abaixo da meta do Governo do Estado, que é de 90%.

O sindicato recebeu relatos de que estudantes e servidoras/es estão testando positivo para a Covid-19, inclusive com pessoas descobrindo a positividade após ir às unidades de ensino do Instituto. No campus de Viana, por exemplo, dois professores e estudantes testaram positivo para a Covid-19.

Com esse novo cenário da pandemia, o Sinasefe Ifes reitera a preocupação com a vida de servidoras/es, estudantes e da comunidade acadêmica no geral, e cobra a obrigatoriedade do uso da máscara e da retomada dos protocolos de biossegurança na instituição.

“A direção do Sinasefe Ifes solicita que a Reitoria do Instituto tome um posicionamento em defesa da vida, que coloque em prática a obrigatoriedade do uso de máscara de proteção facial nos espaços da instituição e retome os protocolos de biossegurança nos campi. Apesar de vivermos uma nova fase da pandemia, o vírus ainda está presente entre nós e precisamos salvar vidas e garantir a segurança da comunidade acadêmica”, reiterou a gestão do sindicato.

Cientistas reforçam o alerta

A epidemiologista e professora da Ufes Ethel Maciel, explica, em entrevista ao G1, que o aumento de casos já era algo previsto pelos cientistas, mas a subnotificação os deixou no “escuro”.

“A subnotificação deixou a gente no escuro, mas a gente já sabia que estava numa subida [de casos]. Nós estávamos com um crescimento de positividade no teste, que é um indicador; algumas cidades já estavam com 40% a mais de positividade no teste”, disse Ethel ao G1.

O médico e neurocientista Miguel Nicolelis, conhecido pelas previsões acertadas da pandemia, destacou, em uma publicação no Twitter, que a atual situação leva a um “verdadeiro estado de caos”.

“Este é um dos momentos de maior risco da pandemia, basicamente pq todas as medidas de contenção da transmissão do vírus foram eliminadas, a janela de imunidade criada pelas vacinas está fechando, novas variantes estão circulando sem barreiras e não existe interesse em  informar. O verdadeiro estado dos casos, seja por falta de testagem, seja pela total falta de informações oficiais confiáveis ou pela completa falta de cobertura da grande mídia que deixou de querer investigar a verdadeira situação da pandemia no Brasil e no resto do mundo”.

Ao G1, a professora da Ufes Ethel Maciel também reforçou a importância do uso da máscara em local fechado. “Tendo todos esses elementos – subnotificação, cobertura vacinal baixa pela dose necessária para a idade e os três elementos que indicam uma mudança de comportamento da pandemia – a gente precisa retomar a máscara em local fechado”, afirmou.

Clique aqui e confira o ofício.

68 View