1 de abril de 2021
Por: Comunicação


Share This Story !

Reunião foi motivada pelo atual agravamento da pandemia e pela aprovação da Resolução 02/2021 do Conselho Superior e da portaria 18, de 5 de janeiro de 2021, que permitem aos diretores dos campi iniciarem um retorno gradual às atividades presenciais

Diretores do Sinasefe Seção Ifes realizaram na última terça-feira, 30, uma reunião com a Reitoria do Instituto para solicitar a manutenção das atividades não presenciais em todos os campi do Ifes, conforme previsto na Resolução 02/2021 (clique e confira a Resolução) que prorrogou as Atividades Pedagógicas Não Presenciais (APNPs) A solicitação do Sindicato engloba o trabalho de docentes e de técnicos-administrativos.

A Portaria 18/2021 (clique e confira a Portaria) abre brechas para o retorno presencial e, ainda que o tema da resolução 02/2021 trate da “autorização da manutenção da suspensão das atividades presenciais”, na prática e contraditoriamente, a regulamentação institui a possibilidade de retorno presencial de forma descentralizada (em cada campus). Essa situação provoca pressão sobre os servidores, sobretudo, os que estão lotados em setores administrativos.

A reunião foi necessária uma vez que o Brasil e o Espírito Santo passam pelo pior momento da pandemia com recorde de mortes diárias e de novos casos, além da circulação de novas cepas do vírus, mais contagiosas e com maior letalidade. Embora tenha ocorrido uma interrupção, as iniciativas que deram início ao retorno presencial de servidores foram motivo de apreensão pela categoria, como ocorreu em São Mateus (clique aqui e saiba mais). Além de obrigar servidores técnicos-administrativos a retornar aos campi, houve falta de comunicação e desorganização no retorno, sem protocolos claros.

A gestão do Ifes alegou, dentre outros aspectos, as cobranças dos órgãos de controle como o Ministério Público Federal (MPF) para que servidores voltem a trabalhar presencialmente. Entretanto, outras instituições, como a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) continuam com todas as suas atividades, administrativas e pedagógicas, acontecendo de maneira remota.

Vacinas

Considerando a magnitude da crise sanitária, a diretoria entende que não existe retorno presencial seguro na ausência de vacinas no ambiente escolar. Há dificuldades estruturais e logísticas de espaço, transporte de alunos e servidores, e de manutenção de distanciamento nos espaços. Há, ainda, ausência de recursos que atinge o Ifes e inviabiliza a aquisição de novos serviços e insumos para adaptação das novas exigências sanitárias. Esse último aspecto, inclusive, foi admitido pela própria gestão do Ifes.

Embora o Sinasefe Seção Ifes tenha muitas críticas à forma como as APNP’s foram implementadas, entendemos que a manutenção dessas atividades consiste na única alternativa segura e coerente para que o trabalho continue. Do mesmo modo, é importante que as atividades administrativas também continuem remotamente como até o momento foram desenvolvidas. Isso porque se a atividade primeira do Ifes é o ensino e as atividades administrativas são para o suporte a essa atividade, não faz sentido dar tratamento diferenciado à parte da categoria.

O Sinasefe Seção Ifes tem conhecimento, ainda, de que muitas atividades não foram paralisadas desde o início da pandemia até o final de fevereiro de 2021 e de que algumas retornaram nesse período sem que isso fosse objeto de encaminhamento formalizado dentro dos campi, o que atrapalha a compreensão sobre a abrangência total desses contextos e os riscos atuais para a categoria.

Participação

O Sindicato recomenda que servidores e servidoras dialoguem entre si e se informem sobre a gravidade do atual momento. É muito importante a participação de todas e todos nos espaços de discussão e decisórios que serão abertos no próximo período.

Mesmo na divergência de análise sobre os encaminhamentos apresentados até o momento pela gestão do Instituto, a diretoria do Sinasefe Seção Ifes tem como proposta a manutenção do diálogo aberto e franco, entendendo que a vida de toda comunidade escolar importa acima de qualquer divergência. Por fim, deixamos o alerta de que a manutenção de um retorno presencial sem o pleno cumprimento dos protocolos pode incorrer em equívocos irreversíveis, a exemplo do que o Brasil vive submetido ao governo Bolsonaro.

Estiveram na reunião pelo Sinasefe Seção Ifes as/os diretoras/es Thalismar Matias Gonçalves, Patrícia Soares Andrade, Manoel Tadeu Alves dos Santos, Cristina Mota Damasceno e Marcus Vinicius Cardoso Podestá.  Pela gestão do Ifes estavam presentes o reitor Jadir Jose Pela, Luciano de Oliveira Toledo, Jeisa da Rocha Costa e Danielli Sondermann.

179 View