17 de abril de 2019
Por: Comunicação


Sinasefe Ifes marcou presença no evento que, entre outras pautas, apontou a importância de o sindicato ser parceiro da Comissão Interna de Supervisão

Representantes da diretoria do Sinasefe Ifes marcaram presença no V Encontro Regional Sudeste da Comissão Interna de Supervisão (Ersucis). O evento aconteceu de 10 a 13 de abril, em Arraial do Cabo, no estado do Rio de Janeiro (RJ).


A atividade debateu sobre o Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação (PCCTAE) e sobre a CIS, que é uma comissão institucionalizada pelo próprio plano.

As diretoras do Sinasefe Ifes Lucia Helena Pazzini de Souza e Norma Pignaton Recla Lima e os diretores Adenilson Guasti Castro e Carlos Alberto Firmino dos Santos representaram o sindicato e o grupo de trabalho (GT) sobre o PCCTAE do instituto capixaba no encontro.

O evento debateu questões sobre o “Panorama das CIS nas Instituições Federais de Ensino do Sudeste”, o “Histórico do PCCTAE”, o “Aprimoramento da Carreira” e a “Atuação da CIS”. Clique aqui e confira a programação completa do encontro.

Segundo a coordenadora Norma, as comissões lutam por melhorias nas carreiras e também por melhores condições de trabalho para os/as TAEs.

“O evento levantou a importância de o sindicato ser parceiro da CIS. Somente juntos podemos avançar e lutar em prol da carreira dos técnicos”, defendeu.


A coordenadora ainda ressaltou que os debates chamaram a atenção para a questão da Comissão Nacional de Supervisão (CNS) não avançar nas pautas sobre o plano, devido ao fato de o governo não dialogar com a categoria.

“Precisamos exigir das administrações que sejam implementadas comissões centrais de avaliação de desempenho, de acordo com os ambiente organizacionais. E que as CISs cobrem das instituições programas de capacitações para avançar nos debates sobre a carreira”, frisou.

União para avançar!

Para o diretor do Sinasefe Ifes Carlos Alberto Firmino dos Santos, o evento foi uma ótima oportunidade para promover a integração e a colaboração entre as comissões. Além de intensificar as discussões temáticas ligadas ao PCCTAE.

“Saímos do evento com dois sentimentos: estamos em um governo que tem intensificado a retirada de direitos e que não se coloca disponível para qualquer tipo de negociação. Mas por outro lado, voltamos para casa com a certeza que devemos resistir e fortalecer a nossa luta trabalhista e sindical contra isso”, ressaltou.

137 View