18 de junho de 2021
Por: Comunicação


Share This Story !

“As instituições demonstraram sua omissão e cumplicidade ao permitir a continuidade deste desgoverno”, destaca um trecho 

Movimentos sociais, entidades, entre elas o Sinasefe Ifes, estudantes, trabalhadores e trabalhadoras, assinam manifesto pelo Fora Bolsonaro e Mourão, e também reivindicam, entre outras pautas, a vacinação para todos já, auxílio emergencial de no mínimo R$ 600 e não aos cortes do orçamento da Saúde, Educação e Ciência!

Neste sábado, inclusive é o #19J, em que as entidades e movimentos voltam às ruas para lutar, em especial pelo Fora Bolsonaro e Mourão. Em Vitória, o ato será às 15 horas, com concentração em frente ao Teatro Universitário da Ufes, em Goiabeiras. Clique aqui e saiba mais.

Confira o manifesto:

O Espírito Santo e o Brasil exigem: FORA BOLSONARO E MOURÃO GENOCIDAS

Passado mais de 1 ano do início da maior pandemia da história, o desgoverno genocida de Bolsonaro e Mourão se aproxima da tenebrosa marca de 500 mil mortes oficiais por uma doença que já tem vacina. As instituições demonstraram sua omissão e cumplicidade ao permitir a continuidade deste desgoverno, mesmo após o matadouro que se tornou o território brasileiro, mostrando que apenas   a luta organizada da classe trabalhadora e do povo, tomando as ruas de todo o país exigindo seus direitos será possível derrotar esse projeto genocida.

Sabemos muito bem a cor e a classe da maioria das vítimas desse genocídio, seja pelo vírus, pela fome ou pela mão armada do Estado. A pele preta acumula a morte ou o luto dos seus, se somando aos corpos indígenas, LGBTQIA+ e outros tantos corpos que não se encaixam no projeto racista, sexista, machista, preconceituoso e retrógrado do capital. Não podemos mais tolerar nem nos iludirmos com alguma solução que venha “de cima” para  resolver a crise humanitária que se expande diariamente nos becos , campos e florestas  deste país. Também não é possível esperar as eleições de 2022,  pois há centenas de milhares de mortes evitáveis hoje. É preciso acabar com o genocídio já!

Não há isolamento social possível para as mais de 116 milhões de pessoas que se encontram em insegurança alimentar no Brasil de 2021, das quais mais de 19 milhões passam fome, sem contar o aumento absurdo da população em situação de rua. Por isso é inegociável o direito a um mínimo de dignidade humana, através da aceleração imediata da vacinação e de Auxílio Emergencial de no mínimo 600 reais, que apesar de ainda insuficiente, atenua a gravidade da catástrofe que vivemos no Brasil, para que possa haver um Lockdown de verdade de pelo menos 21 dias e frear verdadeiramente a propagação do vírus.

A necropolítica bolsonarista se completa com a destruição do Meio Ambiente levada ao cabo pelo governo genocida, também com apoio do agronegócio e do grande capital, nos levando a condições de extinção da vida humana e de milhões de outras espécies que não conseguem sobreviver aos constantes ataques à natureza do nosso planeta.

Na esteira do genocídio brasileiro, os fiadores e cúmplices neoliberais do grande capital tentam passar a boiada de hoje, através das privatizações da Eletrobrás, Correios, Caixa Econômica Federal, Codesa e Petrobrás; tentam desmontar o aparato estatal das suas funções através da vergonhosa PEC 32 que instala o desmonte do serviço público e das políticas públicas consequentemente; e tentam decapitar nosso futuro com cortes sistemáticos no orçamento da Educação e Pesquisa neste país, reduzindo a pó a qualidade do Ensino Público através da pasteurização do ensino regida pela nova BNCC, buscando criar uma massa acrítica, sem senso coletivo e , portanto, perfeita para ser utilizada como insumo industrial descartável pelo grande capital.

Não podemos aceitar que a população continue a ser encaixotada em ônibus lotados, sem as mínimas condições, para atender às necessidades urgentes do capital, que só fez crescer ainda mais seu lucro durante a pior crise humanitária da história. Não podemos aceitar o retorno presencial às aulas até que a pandemia esteja controlada, com 70% da população vacinada, contendo a taxa de transmissão. É preciso ouvir a Ciência. Escolas fechadas, vidas preservadas! O governador Renato Casagrande e os prefeitos, ao atenderem os desejos dos tubarões do ensino particular, mostram seu completo descompromisso com a saúde e a vida de milhões de estudantes, servidores e seus familiares.

Por isso, nós, movimentos sociais, estudantes, trabalhadoras e trabalhadores, população do campo e demais pessoas que prezam por uma sociedade justa não toleramos mais esse estado de coisas e EXIGIMOS que nossa voz seja ouvida. Se o povo se expõe ao risco, indo às ruas em plena pandemia para se manifestar, é porque seu governo é mais perigoso que o vírus! Por isso, somos vacina no braço, comida no prato e FORA BOLSONARO E MOURÃO! 

Pela Vacinação em Massa Já

Por um Auxilio Emergencial de no mínimo 600 reais Já!

Não à PEC 32 da Reforma Administrativa

Pela Quebra das Patentes

Por um lockdown de verdade de pelo menos 21 dias e frear verdadeiramente a propagação do vírus.

Não aos cortes do orçamento da Saúde, Educação e Ciência

Não à destruição do Meio Ambiente 

Não à privatização das empresas públicas

Pela vida!

Entidades que assinam o manifesto 

– Coletivo Para Todos

– Centro acadêmico de filosofia – Ufes

– Associação popular dos centros socialistas

– CUT-ES

– União da Juventude Comunista

– Movimento Negro Unificado

– Centro Acadêmico de Licenciatura em Física 

– Partido dos Trabalhadores – ES

– CSP Conlutas – ES

– Brigadas Populares

– Sinasefe – Seção Sindical Santa Teresa ES

– Levante Popular da Juventude

– CA de Farmácia Maruípe

– Sinasefe – Ifes

– Ifes Sem Cortes

– Movimento Enfrente

– Partido Comunista Brasileiro (PCB)

– Rebeldia – Juventude da Revolução Socialista

– DCE FABRA

– DCE UFES

– Juventude do PT-ES

– Diretório regional do PSOL

– Comuna – ES

– Banda Lordose para Leão 

– Partido Socialista dos Trabalhadores Unificados

– Movimento Mulheres em Luta-ES

105 View