30 de março de 2021
Por: Comunicação


Share This Story !

No documento, entidades reconhecem os avanços do Governo do Espírito Santo no combate à Covid-19 mas reforçam que as medidas são insuficientes e reivindicam a presença das representações trabalhistas e populares na mesa de crise

Cerca de 100 entidades da sociedade civil, entre elas o Sinasefe Ifes, assinam o “Manifesto pela vida: proteção sanitária, garantia de renda ao povo do ES e diálogo com os trabalhadores”, em que reconhecem os avanços do Governo do Estado do Espírito Santo nas medidas restritivas e de proteção social em relação à Covid-19, mas avaliam que elas são insuficientes. 

No dia 25, o governador anunciou uma série de medidas restritivas para tentar frear a Covid-19 no Estado, como a proibição da circulação do transporte público (intermunicipal e interestadual) em todo o território capixaba, que vale até domingo, 4. Já no dia 26, Renato Casagrande anunciou um pacote de medidas de proteção social, entre elas a distribuição do Cartão ES Solidário, que vai conceder um auxílio de R$ 150,00 por três meses às famílias em situação de pobreza extrema e que possuam crianças de zero a seis anos no grupo familiar. 

“Entendemos tais medidas como pertinentes e urgentes, mas apontamos que são insuficientes diante da aguda crise social e econômica que vivemos. Reivindicamos, portanto, a presença das representações trabalhistas e populares na mesa de crise”, destaca um trecho do manifesto. No documento, as entidades reforçam ainda a importância de um lockdown, que é imprescindível nesse momento da pandemia. 

Centrais sindicais, sindicatos, associações, conselhos, federações, movimentos sociais e coletivos assinam o documento, que foi protocolado nesta terça-feira, 30. 

Confira o Manifesto pela vida: proteção sanitária, garantia de renda ao povo do ES e diálogo com os trabalhadores (clique aqui e confira o PDF): 

201 View