14 de março de 2022
Por: Comunicação


Share This Story !

Vereador mandou a parlamentar Camila Valadão (PSOL) “calar a boca” e “ficar quietinha”. Leia a nota!

 

Durante sessão da Câmara dos Vereadores de Vitória, realizada no dia 9 de março, a vereadora Camila Valadão (Psol) foi mais uma vez agredida verbalmente pelo vereador Gilvan da Federal (Patriota). O parlamentar mandou Valadão “calar a boca” e “ficar quietinha”. Em repúdio à fala do parlamentar, o Sinasefe Ifes, entidades, pessoas e organizações divulgaram uma nota pública. Confira abaixo:

 

Nota de repúdio 

O Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Diversidade Sexual do Ifes Campus Vitória – NGS, Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Sexualidades do Ifes Campus Venda Nova do Imigrante – NEPGENS VNI e o Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe Ifes), por meio desta nota, vêm a público manifestar seu repúdio à atitude machista, misógina e homofóbica do vereador bolsonarista Gilvan da Federal (Patriotas-ES) que mandou a parlamentar Camila Valadão (PSOL) “calar a boca” e “ficar quietinha”, durante sessão ordinária da Câmara de Vitória na quarta-feira (09/03/22). Tais falas revelam-se ainda mais aviltantes, considerando que, na véspera, foi realizada uma sessão solene na Casa em homenagem ao Dia Internacional da Mulher. O vereador Gilvan também afirmou que vai combater políticas LGBTQIAPN+, se referindo ao que chamou de “dia nacional de sair do armário”.

As falas do vereador desrespeitam e violentam a vereadora e, com ela, todas as mulheres. É inadmissível essa postura vinda de uma pessoa pública em uma tribuna. Exigimos da Comissão de Ética da Câmara Municipal de Vitória uma postura urgente e enérgica contra este vereador que comete, mais uma vez, esse ato de violência política de gênero contra a vereadora Camila Valadão e contra a população LGBTQIAPN+. Reiteramos a urgência dessa postura, a fim de que a Câmara possa demonstrar que o respeito às vozes femininas, aos direitos e à dignidade da população LGBTQIAPN+ não podem se restringir a homenagens vazias em datas específicas do ano, devendo, antes, ser uma garantia inegociável no cotidiano deste terreno de embates e disputas respeitosas que deve ser uma democracia.

Manifestamos, ainda, a nossa solidariedade à vereadora Camila Valadão e a todas as mulheres que têm sofrido os efeitos do machismo e da misoginia. Esperamos que a resposta da Câmara Municipal de Vitória possa ser exemplar de modo a inibir condutas futuras semelhantes, contribuindo de fato para a construção de uma sociedade mais igualitária e menos violenta.

Assinam:

  1. Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Diversidade Sexual do Ifes Campus Vitória – NGS;
  2. Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Sexualidades do Ifes Campus Venda Nova do Imigrante – NEPGENS VNI;
  3. Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Sexualidades do Ifes Campus Centro-Serrano;
  4. Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Sexualidades do Ifes Campus Linhares;
  5. Centro de Estudos Bíblicos (CEBI-ES);
  6. Coletivo Estudos da Conjuntura (CEC);
  7. Movimento Negro Unificado (MNU);
  8. Pastoral Operária (POES);
  9. Conselho do Ensino Religioso no ES ( CONERES);
  10. Projeto de Extensão da UFES, Fordan: Cultura no Enfrentamento às Violências;
  11. Patricia Soares de Andrade – Pofa de Sociologia do Ifes – Campus Montanha;
  12. Flávia Cândida do Nascimento de Souza – Professora de Filosofia do Ifes – Campus Aracruz;
  13. Thalismar Matias Gonçalves – Professor de Geografia – Ifes Campus Avançado Viana;
  14. Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Sexualidades do IFES Campus Cariacica;
  15. Adolfo Miranda Oleare – Professor do Ifes campus Vitória.

Você também pode assinar à nota. Clique aqui e confira.

119 View