17 de setembro de 2013
Por: Comunicação


Share This Story !

A reitoria do Ifes surpreendeu a comunidade ao incluir na pauta da reunião do Conselho Superior desta sexta-feira, 13 de setembro, um documento que propõe novas regras para a progressão na carreira docente. Construído por uma comissão de membros não eleitos, a minuta não foi debatida entre os docentes da instituição. “Esse é para mim o maior dos problemas: a falta de diálogo em uma gestão que se pretende democrática”, afirmou o professor Davis Alvim, do campus Itapina.

Na quinta-feira, 12, ele e outros docentes de diversos campi suspenderam as aulas para poderem se debruçar sobre o documento e analisar os impactos para a carreira. Entre as principais distorções observadas estão a falta de critérios para a pontuação e a cobrança de atividades cuja execução é inviável dentro da estrutura oferecida pelo Ifes. “Isso é transferir a responsabilidade que o governo deu ao instituto para os professores”, avalia Alvim.

No caso da pontuação, o principal problema é a falta de critérios qualitativos. Participar de um seminário vale tanto quanto escrever um livro. No longo prazo, isso desestimula a produção acadêmica e cultural dentro dos quadros do Ifes. Além disso, o instituto cobra que os professores tenham produção nas áreas de extensão e de pesquisa, mas os campi, em muitos casos, não têm a mínima estrutura para o desenvolvimento dessas atividades.

Todo o documento acaba por levantar mais dúvidas e inquietações do que critérios claro e objetivos para a progressão na carreira. Na base de todas as dúvidas está a falta de debates e a imposição de modelos sem discussões com a comunidade, o que pode acabar levando toda a discussão para a esfera jurídica. Ações que podem ser evitadas com uma medida simples: a adoção de Grupos de Trabalho democráticos.

Na última reunião do Conselho Superior do Ifes, o reitor Dênio Rebello Arantes alegou que fazer a eleição dos membros da CPPD atrasaria a execução dos pagamentos a que têm direito os docentes com progressões programadas para 2013, forçando o lançamento de valores como exercícios anteriores, em registro contábil futuro.

A diretoria executiva do Sinasefe Seção Ifes informa que está buscando um diálogo com a reitoria a respeito da minuta de resolução e solicita aos docentes do Instituto que nos enviem sugestões para a construção de uma proposta de resolução pelo email [email protected]

559 View