5 de maio de 2020
Por: Comunicação


Share This Story !

Diversos fóruns (Fórum de Gestão Pedagógica do Ifes, GT de Psicologia do Ifes, Núcleo de Gênero e Sexualidade do Ifes, e Foneabi) também já se posicionaram demonstrando preocupação com a implementação das atividades não presenciais em plena pandemia. Além desses, outros fóruns estão construindo posicionamentos sobre a questão

O Sinasefe Seção Ifes estabeleceu contato com todas/os as/os integrantes do Conselho Superior do Ifes (Consup) antes da realização da reunião que o colegiado fará nesta quarta-feira, 6. Na pauta do encontro está a minuta sobre a Resolução que regulamenta e normatiza a implementação das atividades pedagógicas não presenciais em cursos presenciais, técnicos e de graduação do Ifes, em função da pandemia da Covid-19 (coronavírus). O Sindicato defende a suspensão do calendário acadêmico e que as medidas previstas não sejam adotadas e explicou as razões do posicionamento.

A posição sindical se consolidou a partir de reflexões promovidas entre a diretoria e a base, assim como com estudantes. A avaliação é de que se vive um difícil contexto no qual o Brasil e o mundo sofrem impactos que não ocorriam desde a 2ª Guerra Mundial e que incidem diretamente sobre a educação pública federal e as/os servidoras/es do Ifes.

Foram salientadas as fragilidades na decisão de iniciar atividades pedagógicas letivas durante o isolamento social, o que compromete o princípio da educação pública, gratuita e de qualidade, que é uma marca na tradição do Ifes. Além disso, a assessoria jurídica da entidade forneceu todo o suporte técnico para a elaboração dos argumentos.

Disponibilizou-se, ainda, os links com as diversas matérias e notas de posicionamento do Sinasefe Seção Ifes, de coletivos de docentes e de entidades estudantis, assim como os ofícios produzidos pela seção sindical e encaminhados à Reitoria do Instituto alertando sobre a questão.

Clique aqui e confira a minuta da resolução que regulamentará a implementação de atividades não presenciais no Ifes.

Confira abaixo a íntegra do contato feito com as/os integrantes do Conselho Superior do Ifes (Consup), além dos links de posicionamentos do Sindicato, coletivos de discentes e entidades estudantis, ofícios protocolados na Reitoria e notas de diversos fóruns do Ifes:

1. A minuta em suas considerações iniciais de base legal menciona o Parecer do CNE a respeito da Educação Brasileira no contexto da pandemia da Covid-19. Esse documento, que ainda deverá ser homologado pelo MEC, autoriza as atividades não presenciais pelos sistemas de ensino. Esse mesmo documento também aborda a necessidade de os sistemas de ensino levarem em consideração as fragilidades e as desigualdades estruturais da sociedade brasileira. Nesse sentido, o Ifes deve tomar cuidado para não acirrar ainda mais as desigualdades educacionais entre seus estudantes. Tendo em vista que há fatores que influenciam diretamente no processo de ensino aprendizagem “tradicional” ou não, como a origem dos alunos em termos sociais, o acesso à tecnologia (internet, computador, etc) e as condições cotidianas em termos de pandemia (o isolamento social alterou o cotidiano das famílias);

2. O Sinasefe Ifes tem defendido que o início de atividades não presenciais LETIVAS durante o isolamento social é problemático a partir dos fatores a seguir: 1) O Brasil e o mundo estão vivenciando a pandemia da Covid-19, refletindo numa crise sanitária, social e econômica sem precedentes desde a 2ª Guerra Mundial. E, nesse contexto, o isolamento social não é um período de normalidade e têm impactado o cotidiano dos servidores e estudantes. O início de atividades LETIVAS pode representar mais um fator de stress emocional, dentre outros problemas, podendo gerar adoecimentos2) Iniciar atividades não presenciais (modalidade EaD) requer uma série de condições que não serão atendidas em pouco tempo, ainda mais no período de isolamento social: a capacitação técnica e pedagógica dos docentes, capacitação técnica e pedagógica dos estudantes (os alunos são sujeitos do processo de aprendizagem), acesso a aparelhos adequados e à internet de qualidade,  condições ambientais (em seus lares) para os docentes e estudantes darem conta com qualidade das atividades pedagógicas, entre outros fatores; 3) O início de atividades não presenciais, por conta das condições evidenciadas no item 2 e por questões estruturais, podem acirrar as desigualdades e a exclusão de milhares de estudantes, em especial, os estudantes mais pobres, os com necessidades específicas e os que estão na Educação de Jovens e Adultos (EJA). Além disso, a qualidade do ensino no Ifes, que é o seu maior patrimônio, certamente será muito impactada.;

3. O Sinasefe Ifes, por sua vez, não entende que o Ifes deva ser omisso perante a pandemia. O Sinasefe Ifes defende e divulga as atividades desenvolvidas pelos campi para o combate à pandemia da Covid-19, seja produzindo produtos e serviços para os sistemas de saúde, seja participando de ações de solidariedade. O Sinasefe Ifes também defende que o Ifes pode e deve realizar atividades NÃO LETIVAS para os estudantes e comunidade, com objetivo de manter nossos estudantes próximos e informar a sociedade capixaba, contribuindo ainda com a saúde mental. No entanto, antes de qualquer atividade, o Ifes deve se preocupar com a preservação das vidas dos estudantes, dos servidores e de toda a população. Por isso, o Sinasefe defende que o calendário seja suspenso e organizado, em diálogo com as comunidades (servidores, estudantes e pais), somente após o retorno das atividades presenciais;

4. Diversos pontos na minuta devem ser discutidos com muito cuidado e, do ponto de vista do Sinasefe, a discussão deveria ser orientada pelo princípio da educação pública, gratuita e de qualidade para TODOS e das condições de trabalho dos servidores do Ifes no contexto da pandemia e do isolamento social. Por isso, mostra-se importante destacar alguns pontos: A) O documento menciona a participação dos representantes estudantis no processo de implementação dessa Resolução. Como ocorrerá essa participação efetivamente no contexto da pandemia?; B) A minuta prevê a possibilidade de que até 100% da carga horária semanal seja realizada por atividades não presenciais, o que pode impactar na qualidade do ensino ofertado pelo Ifes; C) A minuta menciona a responsabilidade dos docentes, dos setores pedagógicos e do Napne em relação aos processos de inclusão dos alunos com necessidades específicas. Como será realizada essa política nas atividades não presenciais, já que essa demanda é um desafio em situações de “normalidade”?; D) O setor pedagógico e os docentes são responsáveis pela aprendizagem dos alunos que não tiverem acesso às atividades não presenciais. Portanto, essa possibilidade refletirá em retrabalho para docentes e pedagogos? As turmas serão reorganizadas de acordo com o nível de aprendizagem no período da pandemia?; E) Os familiares serão “coadjuvantes” nas orientações pedagógicas. Quais famílias terão condições de exercerem tal papel, ainda mais no contexto de isolamento social?;

5. O Consup também deve levar em consideração o debate democrático e as vozes dos sujeitos sociais que serão atingidos. Diversas entidades estudantis, coletivos de professores, além do próprio Sinasefe, se manifestaram sobre a preocupação com as atividades não presenciais durante o isolamento social. A tentativa de se iniciar tais atividades não presenciais LETIVAS neste período de isolamento social poderá acirrar tensões entre os servidores e entre servidores e estudantes;

6. Por fim, esperamos que as discussões no Consup sejam bem conduzidas e a possibilidade de uma reflexão sobre a educação e o papel do Ifes no contexto da pandemia da Covid-19. Esperamos que o Consup delibere uma Resolução que seja a melhor POSSÍVEL no contexto atual, não excluindo estudantes (acirrando as desigualdades educacionais) e não elevando a pressão sobre seus servidores, durante esse período de anormalidade que é o isolamento social decorrente da pandemia.

Atenciosamente,

Direção do SINASEFE IFES

CONFIRA OS ANEXOS DE DOCUMENTOS PROTOCOLADOS E LINKS DOS POSICIONAMENTOS DO SINASEFE SEÇÃO IFES (CLIQUE PARA ACESSAR):

Sinasefe Ifes protocola ofício solicitando a suspensão do calendário acadêmico

Docentes do Proeja (Vitória) rejeitam EaD durante a pandemia da COVID-19

Estudantes do Proeja (Vitória) repudiam a implantação da EaD durante a pandemia.

Estudantes se manifestam contra a implantação de EaD durante a pandemia.

Sinasefe Ifes defende que debate sobre a adoção da EaD no Ifes seja feito após a quarentena.

Nota do Centro Acadêmico de Engenharia Civil do Ifes de Nova Venécia.

Ofício 061/2020 – Solicitação de participação no Comitê de Crise

Ofício 062/2020 – Convite ao Ifes para ação solidária em favor dos discentes

Ofício 063/2020 – Suspensão do Calendário Acadêmico

Ofício 066/2020 – Apresentação do Termo de Cooperação com o Ifes

Termo de Cooperação com o Ifes

CONFIRA AS NOTAS DOS FÓRUNS:

Fórum de Gestão Pedagógica do Ifes

Fórum de Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (Foneabi)

Grupo de Trabalho de Psicologia do Ifes

Núcleo de Gênero e Sexualidade do Ifes

500 View