10 de dezembro de 2020
Por: Comunicação


Share This Story !

Encontro será transmitido pelo Facebook e canal do YouTube do sindicato no dia 16 de dezembro, às 19 horas

“Das APNPs ao ensino híbrido: um debate necessário no Ifes” será o tema de uma live que o Sinasefe Ifes promoverá no dia 16 de dezembro, às 19 horas. A transmissão acontecerá pelo Facebook e canal do YouTube do sindicato. 

O objetivo do encontro é contribuir com debate sobre as atuais APNPs e também sobre o ensino híbrido, tendo como princípio a missão institucional do Ifes de ofertar uma educação pública, gratuita, laica e de qualidade para toda a comunidade.

Expositores 

– Adriano Ramos de Souza – Docente do campus Itapina; Economista (UFES), Pedagogo (FASE), Mestre em Educação  (PPGE UFES) e Doutorando em Educação (PPGE UFES). 

– Rodrigo da Silva Goularte – Docente do campus Itapina; Graduado em História (UFES), Mestre em História Social das Relações Política (UFF) e Doutor em História (UFF). 

Mediação 

– Thalismar Gonçalves – diretor do Sinasefe Ifes 

Ementa

Em 2020 o mundo foi assolado pela maior pandemia desde a Gripe Espanhola, a COVID-19. Além de milhões de vidas ceifadas, a pandemia da COVID-19 está sendo responsável pela maior crise sanitária, social e econômica desde a 2ª Guerra Mundial. O distanciamento social foi imposto à sociedade como medida para evitar o contágio do novo coronavírus e não sobrecarregar os sistemas de saúde no Brasil e no mundo. A educação escolar, com não poderia ser diferente, foi severamente impactada e de forma aligeirada (muitas vezes improvisada) os sistemas de ensino implementaram ações para garantir o direito à educação de forma remota e o vínculo de milhões de estudantes às escolas. 

O Ifes implementou as chamadas Atividades Pedagógicas Não Presenciais (APNPs) desde maio deste ano. O debate entorno das APNPs ocorreu a partir de diversas frentes, desde o fator conectividade dos estudantes (acesso à internet e aos equipamentos), passando pela dimensão pedagógica dessa nova forma de ensino, até as condições objetivas e subjetivas de servidores e estudantes se apropriarem das APNPs no contexto da pandemia, tendo em vista os impactos sociais, físicos e psicológicos decorrentes do distanciamento social. Nesse contexto, torna-se urgente fazer uma avaliação das APNPs no IFES do ponto de vista educacional e pedagógico. Debate este realizado de forma autônoma e não institucional. Quais foram os acertos e os equívocos das APNPs tendo em vista as condições complexas para a garantia do direito à educação para uma comunidade estudantil tão diversa do IFES? Os docentes do IFES estavam munidos de ferramentas pedagógicas para esse desafio? 

Ainda nesse cenário da pandemia e das APNPs, sem uma data definitiva para a imunização da população contra a COVID-19, outro termo tem ganhado a atenção na comunidade do Ifes: ensino híbrido. A partir de uma narrativa que o ano letivo de 2021 deverá ser reorganizado e, sobretudo, de que a Tecnologia da Informação deverá ser, mais do que nunca, aliada dos processos educativos, muito tem se falado sobre ensino híbrido e pouco se tem debatido/problematizado a respeito. Nesse sentido, algumas questões aparecem: O ensino híbrido se reduz a divisão da carga horária letiva em presencial e não presencial? Quais são os significados pedagógicos do ensino híbrido pensando a garantia do direito à educação a comunidade tão diversa do Ifes? Qual é o papel da Tecnologia da Informação entendido não como fim, mas um meio, para os processos educativos? Qual é o impacto da autonomia docente no contexto do ensino híbrido?  Qual a relação do nível de autonomia do ensino híbrido, proposto pelo Ifes, em relação às plataformas privadas? 

Portanto, a presente mesa se propõe a contribuir com esse debate sobre as atuais APNPs e também sobre o ensino híbrido, tendo como princípio a Missão Institucional do Ifes de ofertar uma educação pública, gratuita, laica e de qualidade para toda comunidade.

Agende-se e participe! 

259 View