14 de fevereiro de 2020
Por: Comunicação


Share This Story !


Movimento já mobiliza 20 mil funcionários e, de acordo com a ANP, abastecimento pode ser atingido em todo o país

Cubatão(SP) – Grevistas fazem manifestação em frente a refinaria de Cubatão (Rovena Rosa/Agência Brasil)

O Sinasefe Seção Ifes apoia a greve das/os petroleiras/os que se espalha por todo o Brasil. De acordo com dados da Federação Única dos Petroleiros (FUP), mais de 20 mil trabalhadoras/es estão mobilizadas/os em 113 unidades da Petrobras distribuídas por 13 estados brasileiros. As dimensões do movimento e a recusa da direção da empresa em negociar já sinalizam impactos no abastecimento e poderão fazer com que, finalmente, os grandes veículos de comunicação noticiem o fato com mais destaque.

De acordo com informações obtidas pela agência Reuters, a diretoria-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) encaminhou um ofício ao Tribunal Superior do Trabalho (TST) alertando que a greve das/os petroleiras/os pode afetar o abastecimento de combustíveis no país, caso seja prolongada. Mesmo com a contratação de temporários, a solução, acordo com a ANP, não é sustentável.

Considerando a avaliação da própria agência reguladora do setor, a avaliação é de que a greve tem potencial para incomodar o Governo Federal, reduzindo a força que utilizam para atacar direitos das/os brasileiras/os, incluindo servidoras/es públicas/os, essenciais para o desenvolvimento de qualquer país e para a manutenção do bem-estar da população nas mais diversas áreas. Importância ignorada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, que insultou a categoria chamando a todas e todos de parasitas.

A greve das/os petroleiras/os foi iniciada no dia 1 de fevereiro em protesto contra as demissões planejadas para a Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR), que deve ser fechada pela Petrobras. Cerca de mil trabalhadores perderão o emprego. Além disso, o movimento cobra a abertura das negociações e o respeito ao Acordo Coletivo de Trabalho que não está sendo observado, uma vez que a empresa toma medidas unilaterais.

Diante da magnitude da greve das/os colegas petroleiras/os, o Sinasefe Seção Ifes, representação legítima das trabalhadoras e dos trabalhadores do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), reafirma seu apoio ao movimento e se coloca à disposição para auxiliar na resistência ao desmonte da Petrobras, que sofre com graves medidas de desinvestimento e redução da participação estatal, colocando em risco milhares de empregos, famílias e parte da riqueza nacional.

Que a greve das/os petroleiras/os nos inspire para a construção de frentes capazes de somar forças e de produzir alianças na luta por um país que deixe de beneficiar poderosas/os para servir à sua população.

214 View